Prainha da Enseada

A Prainha da Enseada, também chamada somente de Prainha ou Portinho, tem seu acesso por uma trilha de nível fácil a partir do canto esquerdo da Praia da Enseada. É o mesmo percurso que leva para as Praias de Fora e do Godói (ou Tapiá), a conhecida Trilha da Ponta da Espia.

Prainha da Enseada

Um percurso rápido pela trilha, cerca de 10 minutos de caminhada, passando por entre algumas residências, com um visual maravilhoso da Praia da Enseada, assim como de algumas praias mais ao longe do outro lado da baía, na Trilha para a Praia das 7 Fontes.

trilha-da-ponta-da-espia-ubatuba-7

É um local reservado, com águas tranquilas, ideal para o mergulho livre (snorkeling) e o turista que pretende visitar o local, deve prestar atenção nas previsões meteorológicas, pois durante a maré alta a Prainha desaparece. A Prainha da Enseada tem muitas pedras espalhadas na água, assim como em sua pequena faixa de areia, de cor amarelada.

É um ambiente mágico, de contemplação da natureza e reflexão: “Cada pedra lisa espalhada ao longo da praia é resultado de anos de surra, pancadas, movimento das marés, ondas e tempestades. Segure-a com cuidado. Passaram por muita coisa. Silencie diante da Resiliência!” (Jim Wern).

História ou Lenda?
O nome dado de Prainha, faz jus ao seu tamanho, já o nome de Portinho, surgiu depois de um acontecimento ocorrido em 1420. Segundo dizem, muito antes do marco do descobrimento do Brasil, um imenso galeão espanhol abarrotado de tesouros, foi atacado por corsários (piratas) que rondavam a região. Do ataque, apenas três jovens sobreviveram e vieram parar na Prainha, onde se esconderam na Mata Atlântica.

Logo veio uma tempestade inesperada, que encalhou a nau dos piratas na costeira. Os jovens que a tudo observavam, conseguiram recuperar um baú cheio de jóias que enterraram nas redondezas da Prainha. Dizem que os descendentes dos três sobreviventes, trazem em volta de seu umbigo, três pintas pretas de nascença em forma de triângulo, simbolizando a união dos três amigos, na batalha pela sobrevivência.

Dizem ainda, que até hoje o tesouro encontra-se pelas redondezas do conjunto de minúsculas praias que formam a Prainha. E quando algumas pessoas se aventuraram a procurá-lo, as areais somem como que por encanto, camuflando-se com as águas da maré alta. Acredita-se até que o tesouro está protegido por guardiões divinos, e será encontrado apenas pela próxima encarnação de um três companheiros.