Praia Dura

A Praia Dura está inserida na Enseada da Fortaleza, e tem fácil acesso pelo Km 68 da Rodovia Rio-Santos, e sua praia é tranquila, com águas rasas, propícia para banhos, sendo muito procurada por famílias. Suas areias monazíticas (escuras) atraem muitos turistas em busca de tratamento para artrite, reumatismo e inflamações.

Praia Dura Ubatuba

No lado direito desta praia se inicia uma trilha que dá acesso à Praia Brava do Sul, própria para o surf, e em seguida temos o acesso para a Praia Vermelha do Sul. No canto esquerdo da praia, temos um acesso à Praia da Barra ou Palmira. As águas dos Rios Comprido e Escuro deságuam na Praia Dura. A região dispõe de vegetação abundante, vista para o Pico do Corcovado e é um excelente lugar para caminhadas e pesca.

Praia Dura - Rio Escuro

Rio Escuro/Mangue
Quem passa por cima da ponte da Praia Dura, na rodovia, nem sempre imagina, estar passando por um grande condutor da vida marinha, onde são transportadas futuras mamães-peixe que vão desovar no grande berçário, que é o mangue da Praia Dura. O Rio Escuro é ideal para se refrescar, após um banho de mar e também é muito utilizado por pescadores.

História
A Praia Dura era famosa pelo seu Carnaval, criado pelo carnavalesco João Diogo, reconhecido como condutor do “Cordão do Carnaval Praiadurense”. Ninguém escapava do banho de polvilho de mandioca e pó de café usado seco. Os homens mascarados vestiam-se de mulher e elas, por sua vez “enfeitadíssimas”, dançavam ao som da viola e rabeca. Antigamente, as festas religiosas comemorativas, como a de São Pedro por exemplo, aconteciam sempre na casa do festeiro escolhido, pois naquela época, não havia capela.

Os homens também cultivavam o hábito de levantar às 4 horas da manhã, tomavam café com mandioca amarelada cozida, e logo rumavam para o mar. No final do dia, as mulheres com os “samburás” amarrados à cintura, esperavam seus maridos para encher os tais cestos de peixe. Outra curiosidade da Praia Dura, é que ela abrigou uma fábrica de tamancos confeccionados em caxeta, madeira macia, também usada na fabricação de lápis.

Dizem, as lendas, que até bruxas havia por lá, que transformavam-se em fitas, e se transportavam para dentro dos ranchos de canoas, onde faziam suas reuniões. Em toda Praia Dura, elas eram respeitadas e temidas!