A Praia do Sapê está localizada na região sul de Ubatuba, a 29Km do centro da cidade, e beneficia-se da boa infraestrutura comercial, oferecida pelas vizinhas: Praias da Maranduba à sua direita e Praia da Lagoinha à sua esquerda. É um local com hotéis, pousadas, restaurantes, lojas, farmácias, mercado e posto de gasolina.

Praia do Sapê

O acesso até a Praia do Sapê é fácil, localizado ao lado da Rodovia Rio-Santos, e a praia tem estacionamento a poucos metros da praia. Apesar de estar localizada na mesma orla da Praia da Maranduba e da Lagoinha, a faixa de areia do Sapê é mais inclinada, e o mar tem ondas mais fortes, e é recomendado para o surf. Os praticantes de Stand Up também marcam presença, e uma competição que tem ocorrido nesta praia é o Super SUP Brasil, uma etapa do circuito brasileiro de Stand Up.

Praia do Sapê

A praia possui muitos quiosques à beira mar e atrações como passeio de banana boat, locação de caiaque ou passeios de escuna para as ilhas ou outras praias. À sua frente temos a Ilha do Pontal, e também avista-se as Ilhas do Mar Virado, Ilha da Maranduba, e os ilhotes de Fora e de Dentro. Estando na Praia do Sapê, e olhando para o lado esquerdo, temos a Praia da Lagoinha (local onde se inicia a Trilha para as 7 Praias), e no lado direito temos a Praia da Maranduba e a vista de parte do Castelo dos Arautos, localizado no alto da montanha.

História
A origem do nome desta praia: Sapê, é devida a grande quantidade de plantação de sapê, um espécie de capim. Os caiçaras cobriam suas casas e ranchos de pesca com esse capim seco, que tem uma durabilidade incrível e fornece total abrigo, contra chuva e sol forte.

Praia do Sapê - Cruzeiro

 

Ao longo deste trecho de praia, existiam inúmeros ranchos de pesca, pois era onde ficavam os atracadouros dos barcos, que transportavam a pinga fabricada na região e também parte do cultivo de banana e mandioca.

José de Anchieta
A Praia do Sapê era frequentada pelo jesuíta José de Anchieta, que passou uma parte de sua vida em Ubatuba, catequizando os índios Tupinambás e rezando missas, principalmente nos lugares onde se aglomeravam os moradores da região, nos atracadouros.

A praia é demarcada por um cruzeiro, bem na sua entrada, para relembrar aos fiéis a memória de Anchieta, local frequentado pelos pescadores, para pedir proteção, antes de sair para o mar.